Os usuários do Instagram têm uma opção para proteger suas fotos e garantir o direito autoral sobre suas obras, ainda que o Facebook queira se apropriar delas. Um serviço do Creative Commons, selo criado pela organização americana do mesmo nome, permite licenciar as imagens da rede social. Para usá-lo, basta acessar o site  I am CC e permitir o acesso à conta do Instagram. Idealizado pelo americano Philip Neustrom, o registro é gratuito e as fotos com o selo são liberadas para reprodução na internet desde que a fonte seja citada. É uma forma de se proteger de clonagens de sua conta no Instagram, preservar sua autoria e, eventualmente, até monetizar as fotos do seu acervo. Você pode escolher um entre seis tipos de licença:

1) É a mais aberta de todas. Permite que outras pessoas ou empresas distribuam, adaptem e construam sobre a sua obra, mesmo comercialmente, desde que seja dado o crédito pela criação original;

2) Permite a redistribuição comercial e não comercial da obra, desde que ela permaneça inalterada, com crédito para o autor;

3) Autoriza os outros a remixar, fazer tweak e construir um novo trabalho baseado no seu não comercialmente, desde que seja atribuído o crédito e as novas criações sejam licenciadas nos mesmos termos;

4) É muitas vezes comparada ao “copyleft”, licenças de software livre e de código aberto. Permite que outros remixem, façam tweaks e criem sobre a sua obra, mesmo para fins comerciais. A atribuição de crédito é obrigatória e as novas obras devem ser licenciadas sob os mesmos parâmetros;

5) Esta licença permite que outros remixem, adaptem e criem obras não comerciais e, apesar de suas obras novas deverem créditos a você você e ser não comerciais, não precisam ser licenciadas nos mesmos termos;

6) Esta licença é a mais restritiva das nossas seis licenças principais, permitindo que os outros façam o download de suas obras e compartilhem-nas desde que deem crédito a você, não as alterem ou façam uso comercial delas.

O compartilhamento instantâneo de imagens fez com que o Instagram crescesse muito nos últimos tempos – no início da semana foi anunciada a superação da marca de 100 milhões de usuários, mas a rede social ainda é pouco avançada em termos de licenciamento e proteção da propriedade intelectual. O concorrente Flickr,  por exemplo, conta com um repositório de mais de 200 milhões de imagens liberadas no Creative Commons. Um jovem fotógrafo americano de 19 anos chamado Gage Skidmore se destacou por suas fotos da última campanha presidencial republicana licenciadas no Flickr. Várias delas foram publicadas em milhares de sites ( http://www.niemanlab.org/2012/09/how-a-19-year-old-student-became-one-of-the-hottest-political-photographers-in-the-country/). Para mais detalhes sobre o serviço de licenciamento, acesse o site oficial do CC no Brasil. Neustrom acredita que se uma pequena parte dos usuários do Instagram aderir ao novo projeto, sua iniciativa pode se tornar um movimento cultural de grande impacto. (DR e VV)

Anúncios
  1. João Carlos Macruz

    Excelente texto, muito esclarecedor. Permitam: qual a licença que vocês acham mais interessante? Perdão pela consultoria :-). Muito obrigado.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: